sábado, 19 de março de 2011

Por Dentro do Castelo Neuschwanstein

Há algumas semanas, fiz o post aqui dos incríveis castelos pelo mundo (para ver clique aqui), no qual você ficou deslumbrado com tantos castelos belissimos.

 

O castelo de Neuschwanstein, localizado na Alemanha, era um dos mais belos da lista, você deve ter ficado encantado, mas ainda não viu nada, prepare o babador porque agora você vai conheçer o interior do magnífico castelo de Neuschwanstein!!!










 Mas deve dá um medo morar em um castelo enorme destes, não?

sábado, 12 de março de 2011

Mortal Kombat 9: Veja os Fatalities de Kratos e Todos os Outros!



O novo jogo da série que como você já viu aqui terá a participação especial de ninguém mais, ninguém menos que Kratos já foi proibido na Austrália pela violência antes mesmo de ser lançado...

Neste vídeo há uma compilação dos 27 fatalities do game. E mais abaixo, um vídeo só com os fatalities de Kratos!! Enjoy!





FATALITY!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Josef Mengele e as Experiências Médicas Nazistas

Durante a Segunda Guerra Mundial vários médicos alemães realizaram “experiências” desumanas, cruéis, e muitas vezes mortais em milhares de prisioneiros dos campos de concentração.

O principal deles foi Josef Mengele (foto), que  torturou e matou milhares de pessoas em nome da ciência nazista.


Josef Mengele nasceu em Günzburg, na Alemanha, em 1911. Estudou medicina e filosofia na Universidade de Munique, onde "mergulhou'' em temas que visam o aprimoramento genético humano. Na Segunda Guerra, em 1942, foi condecorado por bravura militar. No ano seguinte, foi para o campo de concentração de Auschwitz como coronel-médico da SS (a tropa de elite nazista). Mandou então executar 400 mil prisioneiros, entre judeus, ciganos, gays e deficientes físicos. Os poupados da morte imediata eram enviados para o "zoológico", os barracões onde ficavam as cobaias humanas de seus experimentos. Entre eles, havia principalmente irmãos gêmeos, anões e portadores de deficiências físicas. 

Josef Mengele exercia seu “trabalho” em um campo de concentração vizinho ao famoso Auschwitz. Lá, o "Anjo da morte", como ficou conhecido, dissecava pessoas vivas, amputava pernas e braços de crianças, sem anestesia nenhuma, para tentar, sem sucesso, regenerá-los. Com injeções, tentava injetar tinta azul em olhos de crianças para alterar a cor, mas só provocava infecções ou cegueira, jogava prisioneiros em água fervente ou extremamente gelada para ver o quanto suportavam. Era fascinado por gêmeos. Injetava o sangue de um em outro, de tipo sanguíneo diferente, para ver a reação e também literalmente costurava gêmeos para tentar criar artificialmente gêmeos siameses! Os que sobreviviam às experiências, eram logo assassinados para dissecação e mais observações. Muitos, posteriormente, tinham seus restos mortais dissolvidos em ácidos, restando apenas os ossos.

No fim da Segunda Guerra, Josef Mengele fugiu do campo de concentração em janeiro de 1945, dias antes de sua liberação. Ele nem sequer foi citado nos Julgamentos de Nuremberg e como muitos outros criminosos nazistas converteu a América do Sul em seu esconderijo, acolhendo-se na Argentina, onde permaneceu algum tempo. Em 1985, a descoberta de cartas de Mengele para um contato na Europa revelou seu refúgio no Brasil. Mas já era tarde, pois Megele morreu afogado em Bertioga (SP) em 1979. Seus ossos se encontram em poder do Instituto Médico Legal de São Paulo, em local não revelado para evitar peregrinações de neonazistas. A família nunca requisitou o corpo.

Josef Mengele foi apenas o mais famoso e conhecido dentre os vários "Médicos-Monstros" que atuaram na Segunda Guerra Mundial fazendo experimentos como os que vocês verão a seguir:

Experimentos sobre Congelamento

 

Um dos experimentos mais utilizados nos campos de concentração pelo alto comando Nazista foi o de congelamento/hipotermia. Como as forças germânicas estavam doentes e mal preparadas para o inverno Russo, os chefes acharam por bem preparar seus soldados para o frio. Em 1941, a Luftwaffe conduziu experimentos para aprender como tratar a hipotermia. As experiências eram divididas em duas partes. Primeira: verificar o tempo que demoraria para a temperatura do corpo abaixar até se dar a morte. Segunda: descobrir a melhor forma de tentar reanimar a pessoa. O estudo forçou pessoas a ficarem em um tanque de água semi congelada por até três horas. Outros estudos colocaram prisioneiros nus em campo aberto durante várias horas com temperaturas abaixo de zero. Uma sonda que mede a diminuição da temperatura corporal era inserido no ânus e era mantida no lugar por um anel metálico expansível, que foi ajustada para abrir dentro do reto para segurar a sonda firmemente no lugar. A vítima era colocada em um uniforme da força aérea, e depois colocada na poça de água fria e começava a congelar. O objetivo foi determinar quanto tempo o corpo humano pode sobreviver a tais temperaturas e avaliar diferentes formas de reaquecimento dos sobreviventes. Essas experiências foram realizadas por Mengele e seu equivalente da Força Aérea, o médico Sigmund Rascher da Luftwaffe.

Experimentos sobre Malária

 

A maioria das experiências tinha por objetivo desenvolver e testar medicamentos, bem como métodos de tratamento para ferimentos e enfermidades dos soldados alemães, como por exemplo a Malária. Em torno de fevereiro de 1942 e abril de 1945, experimentos foram realizados no Campo de concentração de Dachau, a fim de investigar imunização para o tratamento da Malária. Detentos saudáveis foram infectados propositalmente pelo mosquito ou por injeções de extratos de glândulas mucosas das fêmeas de mosquitos infectados. Depois de contraírem a doença, estas pessoas foram tratadas com várias drogas para testar sua relativa eficiência. Mais de 1.000 pessoas foram utilizadas nesses experimentos, e desses, mais da metade morreu como resultado.

Experimentos sobre gás mostarda

 

Diversas vezes entre setembro de 1939 e abril de 1945, experimentos foram conduzidos em Sachsenhausen, Natzweiler, e outros campos para investigar o tratamento mais eficaz das feridas causadas por gás mostarda. Pessoas foram deliberadamente expostas à gás mostarda e outros gases, o que causava graves queimaduras químicas na pele. As vítimas feridas foram então testadas para encontrar o tratamento mais eficaz para as queimaduras de gás mostarda.

Experimentos sobre esterilização 

 

Outras experiências repugnantes tinham por meta facilitar os objetivos raciais nazistas, com uma série de experiências de esterilização, realizadas principalmente em Auschwitz e Ravensbrueck. Lá, os  "cientistas" testaram diversos métodos, com o objetivo de desenvolver um procedimento eficaz e barato de esterilização em massa de judeus, ciganos, e outros grupos considerados pelos nazistas como racial ou geneticamente indesejáveis. A radiação era o tratamento favorito para a esterilização. A exposição de pessoas à radiação destruia sua capacidade para produzir óvulos ou espermatozóides. A radiação foi administrada enganando os presos, estes eram levados para uma sala e pedia-se o preenchimento de formulários, que levava dois a três minutos. Alguns eram submetidos a seções de raio X, mais na realidade estavam sendo expostos a radiação. O tratamento de radiação era administrado sem o conhecimento dos presos, tornando-os completamente estéreis. Muitos sofreram graves queimaduras.

 

Experimentos sobre a água do mar

 

Em torno de julho de 1944 e de setembro de 1944, experimentos foram realizados no Campo de concentração de Dachau para estudar vários métodos de tornar a água do mar potável. Em certo momento, um grupo de cerca de 90 ciganos foram privados de comida e água, sendo dado de beber somente água do mar pelo Dr. Hans Eppinger, o que os deixou gravemente feridos. Eles ficaram tão desidratados que lambiam os pisos recém-lavados, numa tentativa de obter água potável.


Experimentos com venenos

 

Em torno de dezembro de 1943 e outubro de 1944, experimentos foram conduzidos em Buchenwald para investigar o efeito de diferentes venenos. Os venenos foram administrados secretamente na alimentação de indivíduos. As vítimas morreram em consequência do envenenamento ou foram sacrificadas imediatamente, a fim de permitir autópsias. Em setembro de 1944, eram disparadas balas venenosas contra os presos, que após a tortura, faleciam.


Uma vítima das experiências médicas nazistas. Foto tirada no campo de concentração de Buchenwald, Alemanha, data indeterminada.
— United States Holocaust Memorial Museum
Herta Oberhauser, que foi médica no campo de concentração de Ravenbrueck, é sentenciada no Julgamento dos Médicos em Nuremberg. Oberhauser foi considerada culpada por realizar experiências médicas nos prisioneiros dos campos e foi sentenciada a 20 anos de prisão. Nuremberg, Alemanha, 20 de agosto de 1947.
— National Archives and Records Administration, College Park, Md.
A sobrevivente do campo de concentração Jadwiga Dzido mostra a perna com cicatrizes para a Corte de Nuremberg enquanto um médico explica a natureza dos procedimentos infligidos nela no campo de concentração de Ravensbrück em 22 de novembro de 1942. As experiências médicas, incluindo injeções de bactérias altamente potentes, foram realizadas pelos réus Herta Oberheuser e Fritz Ernst Fischer. 20 de dezembro de 1946.
— National Archives and Records Administration, College Park, Md.
Foto da perna desfigurada de uma sobrevivente de Ravensbrueck usada para a investigação dos crimes de guerra. Helena Hegier (Rafalska) foi sujeita a experiências médicas em 1942. Esta fotografia foi requisitada como evidência para a acusação no Julgamento dos Médicos em Nuremberg. As cicatrizes da desfiguração são resultado das incisões feitas por equipes médicas e que eram propositalmente infectadas com bactérias, sujeira e cacos de vidro.
— DIZ Muenchen GMBH, Sueddeutscher Verlag Bilderdienst

Eduard, Elisabeth, e Alexander Hornemann. Os meninos, vítimas de experiências médicas com tuberculose no campo de concentração de Neuengamme, foram assassinados pouco tempo antes da liberação. Elisabeth morreu de tifo em Auschwitz. Holanda, pré-guerra.
— Guenther Schwarberg
Jacqueline Morgenstern, 7 anos de idade, mais tarde uma vítima de experiências médicas com tuberculose no campo de concentração de Neuengamme. Ela foi assassinada pouco antes da libertação do campo. Paris, França, 1940.
— Guenther Schwarberg
Cigano vítima das experiências médicas nazistas para transformar água marinha em água potável. Campo de concentração de Dachau, Alemanha, 1944.
— National Archives and Records Administration, College Park, Md

terça-feira, 1 de março de 2011

O Final Misterioso de "A Caverna do Dragão"

Quem tem uns 18 anos ou mais, deve se lembrar nostalgicamente do desenho animado A Caverna do Dragão, que foi um dos melhores da década de 80! Até eu que tenho 14 anos considero este como um de meus desenhos favoritos - eu assistia quando passava na TV Globinho =)


A série tem 27 episódios, distribuídos em 3 temporadas. O primeiro episódio da série mostra um grupo de seis jovens em um parque de diversões embarcando em uma montanha russa chamada "Dungeons & Dragons". Contudo, durante o passeio, um portal se abre e transporta as crianças para outro mundo, chamado simplesmente de "Reino", no qual o grupo já aparece trajando outras roupas e recebendo logo em seguida armas mágicas — as Armas do Poder — de alguém que se apresenta como o Mestre dos Magos. A partir daí, os jovens passam por diversas aventuras buscando voltar para casa, durante as quais o Vingador, um mago maléfico, tenta a todo custo tomar as Armas do Poder dos jovens com a intenção de derrotar tanto o Mestre dos Magos quanto Tiamat, um dragão de sete cabeças, para assim dominar o Reino.

OK, até aí beleza, mas e como a série termina? Eles conseguem voltar para casa??? É aí que está. A série simplesmente não tem um final!

''um rumor de que o último episódio da série teria sido vetado por sua assombrosa revelação: Os personagens nunca mais poderiam retornar ao seu mundo porque eles já estavam mortos desde o primeiro episódio, devido a um acidente no carrinho de motanha-russa no qual embarcaram. O "Reino" é na verdade o inferno, sendo o Mestre dos Magos e o Vingador, as duas faces de um mesmo ser demoníaco, jogando e brincando com os novos moradores. O boato ainda afirma que o dócil unicórnio Uni seria um enviado do demônio, para impedir os meninos de regressar ao seu mundo (ou melhor, de descobrirem que não havia como voltar), atrapalhando-os e brincando com seus sentimentos. Tiamat é, na verdade, um anjo que vai até o inferno com a missão de tentar fazer com que os jovens descubram a verdade e que, depois de tantas tentativas, acaba por revelá-la.

De tão famoso, o boato pôs em evidência os criadores da série, entre eles o roteirista Mark Evanier, que desmentiu tudo:

"Isto é totalmente falso! Apesar de vários possíveis finais terem sido discutidos, nenhum último episódio foi produzido de fato."

Outro escritor, Michael Reaves, roteirista de sete episódios, complementa:

"Caverna do Dragão foi um desenho altamente sombrio para a sua época - tanto quanto é Gárgulas nos anos 90. Nós o levamos o mais distante que era possível para um programa infantil". (...) "Os garotos não ficaram presos no inferno, nem o Mestre dos Magos é o demônio ou coisa parecida. Essa história toda é absurda."

Michael Reaves chegou a escrever um final para Caverna do Dragão, mas ele nunca saiu do papel e chegou a ser disponibilizado na internet em forma de HQ (Clique aqui p/ lê-la). A seguir um resumo do tal final oficial:

''O episódio inicia com os seis garotos enfrentando uma hidra. O Mestre dos Magos aparece durante a briga mas se recusa a ajudá-los, o que causa estranhamento geral. Mais tarde, o Vingador surge e apresenta uma maneira para a turma voltar ao seu mundo: encontrar uma chave escondida e arremessá-la em um abismo. A proposta faz o grupo se dividir em dois (Eric, Presto e Sheila de um lado e Hank, Bobby, Diana e Uni do outro). Após quase morrerem em um vulcão, eles se juntam novamente e encontram a tal chave dentro de um sarcófago com a imagem do Vingador. Ao serem atacados por uma ameba gigante, Eric usa a chave em uma fechadura e salva seus amigos da morte certa. Isso faz o Vingador se transformar em sua forma real (um cavaleiro) e se revela filho do Mestre dos Magos. Com o vilão libertado, os garotos ganham a opção de voltar para seus lares. O episódio termina sem o espectador saber se eles retornaram ou não para a Terra, deixando aí o espaço para uma continuação na temporada seguinte''


Poxa, bem que podiam fazer um episódio com o final "inventado", que é bem mais interessante que este original. O desenho ia ficar mais foda ainda! 

Fonte